Novidades

ELE ME FAZ RIR

Sua promessa de estar comigo muda minha forma de ver o mundo Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas-novas de grande alegria, que são para todo o povo (Lucas 2.10).   Às vezes, tornamos as coisas muito complicadas. Muito difíceis. Mas erramos em relação a como as coisas realmente são. […]

Ele me fez rir

Sua promessa de estar comigo muda minha forma de ver o mundo

Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas-novas de grande alegria, que são para todo o povo (Lucas 2.10).

 

Às vezes, tornamos as coisas muito complicadas. Muito difíceis. Mas erramos em relação a como as coisas realmente são. Com o Natal não poderia ser exceção. Na verdade, é parte da regra.

O Natal marca toda a sociedade. Além do mais, quase todo mundo tem a vida invadida pelo nascimento do menino Jesus. Com o passar do tempo, porém, as pessoas recomeçam as ter as preocupações de rotina: com quem passar as festas, o que comer, que presentes comprar, limpar a casa, cuidar das crianças, montar a árvore, confraternização de fim de ano no trabalho, confraternizações em todos os lugares, etc., etc., etc. São muitos etc.

No entanto, as palavras logo abaixo do título representam um convite, um convite muito especial: voltar à essência, à simplicidade do Natal. Vamos deixar de lado todas essas coisas terrenas, e vamos observar com atenção quão bonito é o nosso Senhor.

Jesus é tão lindo. E tão criativo. É tão espirituoso. Das tantas milhares de alternativas em que podemos pensar (e as muitas outras que nem mesmo nos ocorrem), Jesus Cristo decidiu vir ao mundo na pele de um bebê nascido em um estábulo cercado por animais, palha e cheiros típicos. Não escolheu pais diferenciados, nem uma cidade da moda. Tudo era muito comum. Normal. Muito simples.

Mesmo com aquela moldura nada especial, sem nada de magnífico, o nascimento do Filho de Deus aconteceu e transformou a vida de todos nós. A razão da nossa existência nasceu ali. Nossa alegria nasceu. Nossa Paz. Nossa certeza do bem. Nasceu nossa segurança inabalável.

E, a partir dessa perspectiva, eu convido você a olhar para o panorama da nossa vida. Olhe para a sua vida, para os seus problemas, suas dúvidas, seus medos, suas perdas, inseguranças, fraquezas, frustrações, falhas e todo o seu futuro sob a ótica do Menino que nasceu. Veja que, quando estávamos perdidos, sem esperança, fadados à morte, condenados a uma vida sem Deus, o Menino nasceu. É isso! Então, entendemos que, assim como ele veio ao nosso mundo uma vez, vai voltar.

É assim dia após dia. O Menino Jesus nascido nos diz que se foi e, mesmo assim, tudo ficará bem. Isso porque agora ele é conosco. Não estamos mais sozinho. Ele nos entende melhor que ninguém. O que você sabe deste mundo em que vivemos. Quem conhece o nosso coração (incluindo aquelas coisas que gostaríamos de não ter conhecido). Ele nos diz para não vamos nos preocuparmos, para brindarmos com alegria de coração sabendo disso: ele nunca vai sair do nosso lado. Não há nada que possa nos prejudicar. Ele estará lá para quando tropeçarmos. Isso vai curar nossas feridas. Isso vai gerar em nós alegria. E vamos rir até doer a barriga.

Talvez essa seja uma boa oportunidade para tornar as coisas tão tremendas. Nós iremos comprar tudo que pudermos. Vamos comer tudo que conseguirmos. Vamos compartilhar tudo que fizermos. Vamos nos divertir com nossos queridos. E talvez nós até compartilhemos a mesa com alguém não muito bom. Ainda assim, vamos rir.

O meu desejo é que você não pense que essas palavras são muito românticas ou muito idealistas. “Na vida real isso não acontece.” Eu espero que nada do que rodeia o Natal faça você se esquecer do Natal. Não deixe nada ofuscar a sua visão sobre a vinda de Jesus.

A vinda de Jesus não significa que os problemas vão acabar, que os sofrimentos passarão longe de nós, que as feridas não vão doer, que o desânimo tocará apenas os outros. Não. Jesus conosco significa que junto com seu nascimento nasce a conquista de todos esses males.

Jesus nasceu, veio há muito, muito tempo. A sua promessa de que em breve vai voltar para nos buscar muda tudo. E isso nos faz rir. Porque, então, nós entendemos que nem tudo é tão sério e tão importante, pois percebemos que até a morte é passageira. O Menino que nasceu já conquistou tudo, e ele nos deu sua vitória como um presente. Ele nos deu um amor que nunca iremos entender, que nunca seremos capazes de igualar. Mas isso nós aceitamos e abraçamos.

Então, eu ergo o meu copo e rio.

Feliz Natal!

 

Evangelina Daldi

Blog da Vida

Dicas e novidades sobre o mundo editorial